O orgasmo do meu ódio.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

" Mama, just killed a man
Put a gun against his head
Pulled my trigger, now he's dead"


O estrondo e o corpo caindo ao chão, sabia que aquilo iria me atormentar para este meu resto de vida, que as súplicas viveriam em meus pesadelos, que aquele ar que se findava seria como se fosse meu.
Acabara de selar meu destino, o resto de meus dias eram incertos, mas não me arrependia, nem uma fibra do meu ser denotava um sinal de arrependimento. Sentia um prazer mórbido, o orgasmo do meu ódio, o gozo de minhas loucuras.
-
Eu matei. Mas não chore, sou homem feito, sei me cuidar. Sorria, é o fim de teus tormentos, ele não virá mais transformar teus dias em noites sombrias, estás livre agora.
Não, eu não me sinto o mais nobre dos homens, nem esta foi a melhor das soluções, mas tem tanta alma pura indo para o céu, que o inferno precisa destas como esta que acabei de enviar.
Nunca estarás só, e a culpa não será tua se uma tarde dessas eu não entrar por esta porta. Tu és forte, aguentastes tanto, sempre enxugava o rosto lavado, ignorando as feridas, essas que irão cicatrizar lhe mostrando o que superastes, fazendo-te seguir em frente.
-
Agora só me põe no colo e mente que vai ficar tudo bem, diz que essa dor vai passar, ela vai passar... Nos últimos suspiros, nas últimas batidas e nas últimas palavras " Por onde quer que eu vá, vou te levar para sempre, mãe."




" Mama, oh, I don't want to die
I sometimes wish I'd never been born at all "
Bohemian Rhapsody, Queen

Repostando conteúdo antigo como a poesia do post passado, pois ando bem sem tempo! Demorei quase 5 anos pra entrar na faculdade, agora estou levando uma peia rs.

8 novidades:

Fábio Murilo disse...

Texto tenso, intenso, mortal, Lu.

Carolina Hermanas disse...

Nossa, achei esse texto muuito pesado, mas também muito bem escrito :)
Parabéns pelas palavras..

beeijos :)
http://carolhermanas.blogspot.com.br/

Erica Ferro disse...

Adoro esses textos intensos, sombrios e fortes. Os leitores ficam se perguntando "De onde saiu inspiração pra algo assim, Deus meu?".
Gostei muito do texto. Não sei se já postei textos assim, mas lembro de ter tido ideias desse gênero algumas vezes.

Beijo!

Blog || FanPage

— Samantha Sousa disse...

Você usa as palavras com uma intensidade incrível, e eu daqui capturo da mesma forma, e fico esplêndida com cada uma delas. Parabéns por esse dom.

e eu entendo bem o que é demorar quase 5 anos para entrar em uma faculdade, e acabar conseguindo e ela tirando todo o seu tempo, rs

beijos, moça ;*

Dênis Girotto de Brito disse...

O arrependimento talvez seja o mais inútil dos sentimentos. Leva o homem a um estado de inércia, à improdutividade e à depressibilidade. No máximo devemos nos permitir uma auto análise, um auto julgamento e a correção dos erros cometidos.

Belo texto, Lu.

Abraços!

Meus blogs literários:
O Poeta e a Madrugada (Contos e Poesia)
Dark Dreams Project (Contos de suspense e terror)

Kelly Siqueira disse...

Intenso!
Mas ao mesmo tempo muito bom para se ler.

E quem nunca sofreu por falta de tempo e com a faculdade? Sei bem o que é isso rs
Beijos beijos

Carol Russo S disse...

achei pesado, como outros leitores, mas assim que é bom: forte o suficiente pra nos fazer sair da zona de conforto.
gostei

Moacir Willmondes disse...

Não se cobre tanto, Sam, está indo muito bem.

Um abraço!

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket