Strawberry Fields Forever.

sábado, 4 de setembro de 2010

" E os motores sairam ligados a mil
Prá estrada da morte o maior pega que existiu
Só deu para ouvir, foi aquela explosão
E os pedaços do Opala azul de Johnny pelo chão"
Legião Urbana.




"Bora botar pra fudê." Ele dizia naquele tom de moleque marrento. Ele escrachava sua rebeldia sem causa, dizia ter aprendido com o rei, seguir todas as regras não leva a diversão.
Uma palheta no bolso, um violão nas costas. O pátio do colégio era o seu palco e quantas eram as tietes ele dizia não está nem ai, dizia.
Seu sonho era os anos 70, viver a vida lisergicamente. Sair pelo mundo. Ser rockstar. Ele sonhava alto. Tinha sede. Tinha vontade de cheirar cores, comer odores.
Ele não passava de um filhinho de papai, revoltavasse com isso. Ele não queria ser burguês. "A burguesia fede. A burguesia quer ficar rica. Enquanto houver burguesia não vai haver poesia." Ele queria ser poeta.
Às vezes ele fingia. Sentava no calçadão de frente para a praia, como roupas de hippie e o violão, ganhava algumas moedas. Foi em um desses dias que ele a viu. Parecia ser feita de cores. Alguns dreads no cabelo, umas tatuagens pelo corpo. "Lucy in the Sky with Diamonds." Ela era o que ele queria ser. Era com ela que ele queria parar de fingir.
Foi como um sonho, que duram no máximo um minuto. Ela se foi tão inesperadamente como chegou. Havia um divisor pro que ele era e o que ele se tornou depois dela. Mas para não perder o costume, ele continuava a mentir para si mesmo. "Foda-se. Tô nem ai."
Sem perceber ele mergulhou em uma "bad trip." As formas coloridas tranformaram-se em monstros. Sonhos em pesadelos. Ele ria-se debilmente acelerando mais. Os sentidos lhe abandonaram. Uma luz e uma buzina. Mais nada.

7 novidades:

lolla linkin(: disse...

Oii, tudo bem ?
Obg por passar lá no meu blog (:
atualizei ele e continuarei todo fim de semana.
o endereço agora é: paolalinkin.blogspot.com !
não é mais lolla...
se tiver twitter me segue que eu retribuo.
@paolalinkin !
Adorei a postagem :D
estou seguindo,se quiser retribuir .
(Desculpa a demora para responder)
beeeijo, e um ótimo fim de semana *-*

LUFE disse...

Gostei do texto.
Nu e cru.
Rebelde sem causa.
bjo

Má Midlej disse...

Nossa, Lury, viajei legal quando comecei a ler seu texto. Primeiro que essa musica do legião me tráz uma angustia danada, uma vontade de sair abraçando meus amigos de colégio. Loucura não?
Mais louco ainda foi eu ter visualizado toda uma trama depois de ler o teu texto. To indo agora mesmo tentar expremer a cabeça e ver o que sai. rsrs

Beijao

brunela disse...

Você tem um jeito muito lindo de escrever. adorei. xx

Luiza disse...

adoro um violão e um rebelde =)

Deysilanne Sousa disse...

Quantos de nós podem dizer que nunca teve um momento de rebeldia sem causa?
Eu também sempre quis encontrar alguém para poder parar de fingir...
Adorei o simples e o real em seu texto.
Abraço ;***

Erica Ferro disse...

Lury! Que texto fofo.

Homens [com barba por fazer] que tocam violão são realmente apaixonantes mesmo.

E o videozinho da menina no fim do post? Já tinha visto e é a coisa mais linda, rs.

Beijo.

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket