O amor.

domingo, 19 de setembro de 2010

"O amor já vai embora
Ou perde a condução
Será que não repara
A desarrumação
Que tanta cerimônia
Se a dona já não tem
Vergonha do seu coração."
_________________________Chico Buarque.


Vai entrando sem bater, sem nem limpar os pés.
Desarruma os tapetes. Desenrrola os carretéis.
Onde está o com licença. Voam-se papéis.

Fecham-se persianas, prefere viver no escuro.
Faz-se em casa. Derrubam-se muros.
Difícil torna-se fácil. Faz-se mole o que era duro.

Sem querer descasca as paredes, nem pensa em consertar.
Ata suas redes. Acalma no embalar.
Dá as cartas sem nem embaralhar.

Esse nômade sem rumo atrapalha mas faz sorrir.
Vai sem nem trocar lençois, nesse eterno partir.
Pode ser o que for, mas é o que sempre se quis.
Aquele motivo de sentir dor, mas sempre ser feliz.

2 novidades:

Sara disse...

Lury, que belas colocações..é mesmo assim, e não tem fim, mesmo quando acaba pode recomeçar...beijos

Camila disse...

Nossa, que lindo!
amei muito *-*

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket