Não faça assim.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

"Você me tem fácil demais
Mas não parece capaz
De cuidar do que possui
Você sorriu e me propôs
Que eu te deixasse em paz
Me disse vai, e eu não fui"


Pensei por vários dias naquela garota de lábios rosas. Que dava gargalhadas que confortavam-me, não sei porque. Lembrava do jeito que ela entornava o copo, sujando-o de batom na beirada e como pela primeira vez eu achei sexy uma mulher fumando.
Meu coração foi no estômago quando a encontrei por acaso em um domingo desses, sem os lábios rosas mas com o mesmo sorriso.
Tantas horas mais perdi recriando em minha mente os seus olhos e como suas bochechas os fechavam quando ela ria. E aah, aquele cheirinho doce do pescoço dela não quis mais sair de mim.
Os olhares completavam-se, igual as frases. Quando encontramos alguém tão parecido conosco dizem que até dá medo, mas eu não sentia isso, eu queria que ela fosse minha. Queria levá-la ao altar. Envelhecer junto. Eramos tão feitos um para o outro. Mas ela queria ir com calma. Dizia ter esse tal medo. De que? De ser feliz?
Eu não entendo... Há pessoas que passam a vida olhando para si em sua existência solitária, preferem viver sentindo pena de si mesmo do que deixar que a felicidade lhe sorria, ali na esquina.
Ela teria tudo que qualquer garota sempre quis, mas as coisas fáceis não tem graça. Não tem aquele saber de mistério. Ficar naquele agridoce da incerteza é tão convidativo né? Quem disse que as leis da física podem ser aplicadas em casos do coração, os opostos se atraem. Você sente ou não.
Eu acabei virando aquele chiclete que não tem mais gosto, mas mesmo continua sendo mastigado. Eu fui ser seu carpete. Fui pedir esmolas do seu olhar. Fui cada vez menos homem e ela menos humana.
Minha esperança cansada de ver-me fazendo papel de besta abandonou-me. Mas deixou suas trouxas. Espero sem querer esperar. Talvez a gente possa ser feliz, um dia. Quem sabe...

-
e mais um post com mesmo tema que uns outros ai, são essas coisas presas aqui que só param de me estrangular se as cuspir .-. desculpem pela minha falta de criatividade hehe

2 novidades:

LUFE disse...

Eu já acho bem criativo a variedade de olhares sobre o mesmo tema, e todos otimos.
Gostei bastante.
So me pergunto o porque dos personagens com tamanha baixa estima, esperando, se oferecendo, as vezes mendigando.
Esse é o amor do sofrimento, da renuncia, da espera.
O amor que maltrata,que nos coloca mais fundo na solidão.
Adorei o
"Você me tem facil demais
.........
........
Me disse vai, e eu não fui"

bjo

Luiza disse...

Podem ser felizes, mas nem sempre juntos. quando não se recebe valor e acaba se diminuindo, não acho que se possa alcançar felicidade, e sim iludir-se achando que a tem. pode ser doloroso, mas caminhos diferentes podem ser a melhor saída. me senti no seu texto. beijos

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket