Eu te amo.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

" Mas acontece que meu coração não é de papel
Que a chuva molha e as palavras se apagam."



Tentei te dizer o que meu coração queria me transmitir
Mas nada que é certo pode se ouvir.
No meu peito calado bate algo que nunca vi.
O meu rosto assustado mostra o que vivi.

Por você meu bem amado posso até morrer,
Sem medo de ser injustiçada, no inferno até ferver.
Nas minhas veias corre um sangue que a você daria pra beber.
Sem medo quero que tudo se dane, com medo de te perder.

Mas se pudesse te conseguir acho que nada iria fazer.
Porque sou tão fraca e indefesa que do meu amor não iria falar.
Por causa do tempo que fiquei pensando que nada iria rolar.

De qualquer jeito não rolou.
Meu coração se despedaçou
Por você que não quis dizer algo que eu queria tanto.
Algo assim como: "Eu te amo."

-
Meu primeiro poema, muuito piegas, bobo, mas mesmo assim eu gosto dele e transmite bem o que eu tô passando esses tempos...

5 novidades:

Luiza disse...

achei fofo. queremos ouvir isso, e mais ainda, as demonstrações de afeto, as fortes, que não deixam dúvidas. quando não recebemos nada disso e ainda temos tanto pra dar, dói. beijos

Rodolpho Padovani disse...

E esse "não falar" deixa a dúvida futura do "o que teria acontecido se...", mas é a vida né... acontece...

Bjs =)

Barbara Salvan disse...

Que fofura *-*
Seu blog tá cada vez mais lindo Lury, é uma pena não poder vir aqui sempre :/
Beijos, obrigada por passar lá no meu cantinho!

Eraldo Paulino disse...

E tem momento mais legal na vida do que poder falar e ouvir esse tipo de coisa com bastante segurança pra não nos sentirmos idiotas?

Gostei muito!

Bjs!

Laura disse...

Não chei piegas, achei puro sentimento.

Bjs*

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket