Um fruto proibido.

sábado, 10 de julho de 2010




Bombas explodem em minha mente,
O sangue escorre germinando sementes.
Um fruto proibido brota sem vermos,
Destruindo aos poucos a bandade que temos.

Dores, sofrimento, corações agonizando
Dentro do peito de quem vê tanta maldade.
Incapaz, se torna fraco, fica com medo chorando.
Como vencer essa peste que se infesta sem vontade?

Guerra, tanques, homens sem medo de matar.
Eles não tem medo do inferno se já vivem nele.
Como eles conseguem dormir, comer e amar?
Corações de pedra são os deles.

Festejam enquanto corpos são enterrados.
Fingem resolver problemas mas só fazem merda.
Mas quem é o mocinho nessa história de malvados?
Nesse mundo que nem vê o que herda.

5 novidades:

Erica Ferro disse...

Sentir prazer ao ver a desgraça do outro, seja esse outro quem for, é insensibilidade extrema: psicopatia.

Grafite disse...

Belo texto! profundo...

beiijo,
*.*

brunela disse...

Texto lindo, como sempre :) xxx

Rhaissa N. Ramon disse...

O homem precisa do rebaixamento de outro pra sentir-se bem. Sempre foi assim.
Passando sempre por cima uns dos outros que chegamos onde estamos.

Rodolpho Padovani disse...

O homem é a mais cruel de todas as criaturas, pois é racional, ou pelo menos se julga assim, enquanto mata, corrompe e destrói...
Belo texto e forma de expressão...

Bjs!

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket