Sapato Novo.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

" poderia até pensar que foi tudo sonho
ponho meu sapato novo e vou passear
sozinho, como der, eu vou até a beira
besteira qualquer nem choro mais
só levo a saudade morena
e é tudo que vale a pena "

Los Hermanos.


Vida,

Você que me foste tão boa. Você que me deste o ar que por tantas vezes encheram estes pulmões tão cansados de fazê-los. Você que pintou sorrisos em minha boca e desenhou pequenas lágrimas de Pierrot em minha face.

Você que por outras vezes criou encruzilhadas em meu caminho sem me dizer para onde seguir. Você que colocou pedras e barrancos nessa minha estrada sem me dizer como os transpor.

Você que criou coadjuvantes para o meu monólogo sem graça, uns eram tão péssimos atores que tiveram que sair de cena. Você que me jogou diversas vezes para a platéia, deixando-me impotente no desenrolar da trama. Você não foi nem uma escritora de Hollywood mas fez o público sentir.

Você que vinha e acalentava-me para depois encher-me de tapas. Ah, como você era má me chutando quando já me encontrava no chão, mas depois me dava a mão para assim eu levante novamente.

Às vezes sentia que se divertia às minhas custas, fui o teu bobo da corte, mas também te impressionei, não foi?

Que saudades que já sinto de você, que por tantas vezes foi companheira, às vezes fazendo-me acreditar que me odiava, quantas vezes não lhe quis mais... Mas como serias chata se fosse sempre tão boazinha. Tão clichê, tão complicada, um saco... Mas era minha e única.

Não sinto raiva por teres que partir, aliás, sinto uma felicidade tremenda, não porque eu não goste de você, pelo contrário, mas tá bom né? Bora descansar um poquinho.

Lembra daquele sapato novo que me destes? Nem te agradeci né? A sola já tá até soltando... Muito obrigado! Agora, andarei descalço.

Sem mais delongas, Adeus,

Daquele que lhe viveu.

3 novidades:

Leticía Gomes disse...

lury, ninca vi nada parecido. realmente criativo, e a sutileza e escolha das palavras, nem se fala.
"às vezes fazendo-me acreditar que me odiava, quantas vezes não lhe quis mais..."
muito bonito, muito.

Raíssa Santos disse...

É verdade, a vida fácil seria chata. A vida tem momentos bons e ruins que nos ensina, assim é a boa vida. Viver e aprender.
Amei,
beijos

Rodolpho Padovani disse...

É, as vezes a gente ama, as vezes a gente odeia, a vida é assim, cheira de trancos e barrancos, mas é única e sem preço...

Ah, e sobre meu engano, eu confundi o tema de um projeto e escrevi aquele texto que passou longe do que era esperado, mas depois que vi a confusão eu escrevi o novo e acabei postando aquele, pois gostei dele...

Bjs =)

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket