são todos iguais?

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Você me tem fácil demais
Mas não parece capaz
De cuidar do que possui
Nelson Gonçalves.



Não fecha os olhos ao beijar.
Chama de amor para não confundir.
Escuta sem parecer se importar.
Sua voz nem treme ao mentir.

Acha que ela acredita no que ele diz.
Ela fingi que não com um sorriso.
Conhece esse tipo que diz que a fará matriz
Mas sabe que filiais são preciso.

Todo mundo um dia cresce, ela diz que já cresceu
Mas seu coração parace que ainda não aprendeu.
Ele falando que com ela ele casava.
Ela diz que não acredita, mas secretamente já o amava.

Sem querer ela esperou o telefone tocar.
Sem querer foi no orkut sem o adcionar.
Sem querer ela fez o que disse que não iria fazer,
Pensar nele antes durmir, querendo não querer.

7 novidades:

Barbara Salvan disse...

Que lindo o texto amiga!
Eu não tive muito tempo pra vir aqui sempre, mas seus textos estão cada vez melhores!
Beijos

Eraldo Paulino disse...

Nâo. Não acho que sejam todos iguais. Mas digo mais... o que faz os homens são as mulheres e vice-versa.

Seus versos retratam muito bem um tipo humano masculino safado e sem escrúpulos. Eu prefiro acreditar que existam mulheres e homens diferentes...


Bjs!

Gabriela disse...

Adoooro poemas (acho que eu já disse isso aqui)! aehuiaheui
Ficou muito legal esse seu! :)

Rodolpho Padovani disse...

Não acredito que sejam todos iguais, nem nego que existam muito como o descrito aqui, cabe as mulheres escolherem, pois parece q muitas preferem esse tipo que tanto reclamam...

Bjs =)

Mah Jardim disse...

Adorei o poema *-*

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Lury,
Sua voz nem treme ao mentir: um grande fingidor...

Abraço poético,
Pedro Ramúcio.

Manuh *.* disse...

adoreiii.
você é ótima em poesias né?
mt boa
xx

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket