De mais ninguém.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

" Se ela me deixou a dor, é minha e só não é de mais ninguém.
Aos outros eu devolvo a dó, eu tenho a minha dor.
Se ela preferiu ficar sozinha ou já tem um outro bem.
Se ela me deixou a dor é minha a dor é de quem tem."

Marisa Monte.




A porta se fechou, saistes sem ao menos dá adeus.
Na mesa deixastes aqueles versos meus, tão seus.
Fiquei abraçando as lembranças, um filme em minha mente.
Tentando entender teus motivos, me deixando tão impotente.

Fiquei trancado no meu mundo, eu e a minha dor.
Não é pena de mim mesmo mas foi só o que me restou.
Não tinha mais a ti, tinha que dedicar a algo aquele amor.
Foi crescendo dentro de mim e com raizes se alojou.

Com a minha dor tento fugir da solidão.
Levastes um pedaço de mim e mascaro a ferida.
Nessa minha insanidade, minha amiga é a ilusão.
Prefiro viver de dor do que não ter um traço teu na minha vida.


- poema inspirado na música De Mais Ninguém


-
Hoje, dia 21 será realizado o movimento Onda Verde, em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade (no 22 de maio). Se você quer entrar nessa onda visite o blog e descubra como você pode participar.

E se você mora em Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio, Salvador e São Paulo ajude o GreenPeace em protesto contra a bancada da motoserra que quer alterar o código florrestal, que será realizado nos dias 22 e 23 de maio. E não se esqueça de assinar também a petição contra o deputado Aldo Rebelo.

1 novidades:

Erica Ferro disse...

Poema apaixonado. E sofrido.
É, se bem que hoje eu ando meio descrente de paixões mortais.

Obrigada pela visita.

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket