O cravo brigou com a rosa.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

"Astronauta diz pra mim cadê você,
bailarina não consegue mais viver"
Tiê.


Insaciada de olhares, nessas ruas, nesses ensejos.
Te procuro em cada um deles, és o que eu almejo.
Vou vivendo de erros, me perdendo por ai.
Parafraseando Amarante, " só me acho em ti."

Te perdi em uma dessas ruas ermas e escuras.
É no álcool que afogo minhas amarguras.
Te procuro no fundo de cada copo, de cada bodega.
E é de esmolas que meu coração sobrevive, e eu aceito como uma cega.

Onde está você em seu cavalo branco para me socorrer?
Talvez perdido em uma das minhas fantasias infantis.
Já estou madura, porque você não vem me colher?
Cresci com ilusões, com esses meus sonhos tão vis.

Uma rosa sem espinhos, foi no que desabrochei.
Uma rosa sem perfume e sem cor, foi o que me tornei.
Uma rosa sem um cravo, um cravo que amei.


4 novidades:

Luana Farias disse...

ooi flor,e stou te seguindo, adorei seu blog, obrigada pela visita (:

Deysilanne Sousa disse...

Que poesia mais linda!
Obrigada pelo seu comentário lá no meu blog, viu?
Achei lindo o seu, estou seguindo =)
Beijos ;***

Jaqueline Jesus disse...

nossa que poema lindo *-*
Cade o cravo? apaixonou a rosa e foi embora... isso acontece muuito ;/
eu gostei de coração.. muito tempo que não escrevo poemas, deu até saudades lendo um poema tão bom assim.

NATASHA M. disse...

Ah que lindo, adorei, principalmente essa parte:
"Uma rosa sem espinhos, foi no que desabrochei.
Uma rosa sem perfume e sem cor, foi o que me tornei.
Uma rosa sem um cravo, um cravo que amei."

Ameeeei o blog *-*

Postar um comentário

e ai alguma novidade?


obs: comentem sobre o texto
elogios e críticas são bem vindos, contanto que leiam e mostrem sua opinião.

sigam-me no twitter: @lusampaiiio

 
Design by Pocket